População e as audiência públicas

Mais uma vez a população é secundária na discussão. Que a sugestão do vereador Ricardo Young seja atendida pelos sr. presidentes de Comissões.

Quer saber quem são:

http://www.camara.sp.gov.br/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=37

Audiências Públicas: Young pede prioridade para sociedade civil

O vereador Ricardo Young (PPS) criticou nesta terça-feira (12/3), durante Comunicado de Liderança da legenda, a falta de espaço da sociedade civil durante a audiência pública sobre a Inspeção Veicular na cidade.
Segundo ele, “houve um empobrecimento da participação da sociedade civil organizada. Foram quase 20 senhores vereadores inscritos, até que uma única liderança da sociedade civil pudesse se manifestar”. Leia abaixo:
 
“Sr. Presidente, parabenizo a Comissão de Constituição e Justiça pela realização, hoje de manhã, de audiência pública que discutiu a inspeção veicular. 
 
No entanto, fiquei bastante preocupado levando-se em conta a qualidade do debate e a presença maciça de organizações e lideranças da sociedade civil. Pareceu um espaço de debate entre a vereança e o Executivo ocupado, do meio-dia às 14h, com as palavras dos Srs. Secretários e Vereadores. Foram quase 20 Srs. Vereadores inscritos, até que uma única liderança da sociedade civil pudesse se manifestar.
 
Em que pese a importância da audiência pública muito esclarecedora, parabenizo o nobre Vereador Goulart pelo encaminhamento da sessão. Houve um empobrecimento da participação da sociedade civil organizada.
 
Gostaria de solicitar aos presidentes das outras Comissões que, ao promovermos audiências públicas, possamos dar prioridade para que a sociedade civil se pronuncie antes dos Srs. Vereadores. Nós temos essa plenária, temos reuniões de Comissões, podemos convocar reuniões especiais para discutir os temas, o que não ocorre com a sociedade civil. A audiência pública é fundamental para que possam se manifestar.
 
Fica o meu apelo aos Colegas para que as futuras audiências públicas sejam mais produtivas e representativas. Muito obrigado, Sr. Presidente”.
Anúncios

Cidadania na CMSP: falta de atenção ou de oportunidades?

Vocês me acompanham aqui no blog falando sobre o que acontece no mandato do vereador Ricardo Young. Busco colocar suas posições diante dos projetos, o dia-a-dia do gabinete, sua participação no plenário, verifico se a prática do mandato condize com as propostas da campanha, entre outras coisas.

Confesso que tem sido um trabalho mais agradável do que eu planejei. E também confesso que tem sido facil esse acompanhamento. Explico o porquê.

A equipe do Ricardo tem feito um belo esforço em divulgar as ações do mandato e trazê-lo mais perto da sociedade. Citarei apenas dois exemplos:

1) Eu como cidadão, tenho uma grande dificuldade em acompanhar as sessões ordinárias da CMSP. O motivo é simples: o horário. As sessões acontecem normalmente às 15h (terças, quartas e quintas), um horário que nós, pobres mortais cidadãos, normalmente trabalhamos. Nesse contexto, os vídeos “Direto do Plenário” têm sido de grande ajuda para entender o que acontece na sessão na visão do vereador. Os vídeos são postados logo após as sessões e resumem as discussões e falas que o Ricardo participou.

2) Em um esforço para debater temas de importância e do dia-a-dia do paulistano, a equipe do Ricardo Young organiza, toda primeira segunda-feira do mês, as “Segundas Paulistanas”. São eventos que ocorrem na própria CMSP, em um horário mais próximo da realidade do cidadão (18h30), trazendo especialistas sobre o tema abordado e com o objetivo de gerar discussões e apresentar possíveis soluções para as questões. Participei da primeira edição cujo tema foi “Governança, Cidadania e Processos Colaborativos”, em uma segunda-feira típica paulistana. Muita chuva, enchentes, trânsito parado. Fui de ônibus da Vila Romana para a CMSP, havia trânsito para os carros desde a Lapa até o Centro, fui bem no corredor de ônibus até o início da Av. São João, onde ele também travou. Desisti e fui andando até a CMSP! Foi muito bom ver no evento pessoas “normais”, cidadãos preocupados com a cidade e procurando uma maneira de ajudar a melhorá-la. Não consegui participar da segunda edição, cujo tema foi “Crack, Cracolândia e Internação Compulsória”, mas cerca 80 pessoas participaram do evento!

Essas são apenas duas ações que mostram um esforço do mandato do vereador Ricardo Young em aproximar a sociedade à CMSP.

Pensando nisso, me entristece o relato fiel feito pelo amigo Alecir Macedo em sua visita à CMSP quarta-feira (06/03). A participação da sociedade nas sessões da plenária da Câmara Municipal é nula. Porém, penso: o que eu, cidadão comum, ganho em acompanhar uma sessão chata, com muitos discursos vazios, um formalismo que não nos é natural, em um horário que não facilita? Além disso, há uma guerra de ego/partidária que não parece tem muito a ver com (ou pelo menos não parece que resolverá) os problemas da cidade.

É nítido o esforço de alguns (poucos) vereadores em trazer a CMSP mais próxima dos cidadãos, porém gostaria de ver as sessões da plenária cheias e com a participação ativa da sociedade. Uma sessão onde palavras como “nobre colega”, “pela ordem”, “comunicado de liderança”, não seriam as palavras mais usadas. Já há exemplos de Câmaras Municipais que alteraram o horário para permitir uma maior participação. Veja Jaguariaíva-PR, Maringá-PR Jundiaí-SP, Corumbá-MS e Serrinha-BA.

Pode parecer utópico e até contra o tal do famoso (entre os vereadores) Regimento Interno, mas para ficar mais próximo da realidade, sugiro que seja feita, pelo menos uma vez por mês, uma sessão ordinária (com votação, lógico) em uma quarta-feira às 20h00, com a presença de todos os vereadores, votando, discutindo e mostrando o que o cidadão perde ao não acompanhar o seu vereador. Seria mais um símbolo significativo para que os cidadãos comecem a (re)descobrir a Câmara Municipal de São Paulo. Fica a sugestão e o desafio.

@rafascarvalho