CPI dos Transportes é instalada

Acompanhei de perto as movimentações que acabaram na instalação da CPI dos Transportes. Aqui mesmo no blog vocês puderam ver que o vereador Ricardo Young foi quem levantou a questão de investigar as planilhas da SP Trans na durante reunião da Comissão dos Transportes. Foi ele também quem protocolou o requerimento para criação da CPI dos Transportes e iniciou a as discussões, principalmente na mídia, à respeito do tema. Hoje a CPI foi instalada aprovada e instalada.

Essa poderia ser a história, porém aconteceram muitas coisas nas vírgulas da história contada acima. A CPI instalada não foi a protocolada pelo vereador Ricardo Young, mas sim, a que constava em um requerimento que surgiu ontem, assinado pelo vereador de Paulo Fiorillo (PT).

Até terça-feira na reunião dos líderes, que acompanhei pessoalmente, o líder do governo, o vereador Arselino Tatto, era contra a instalação de qualquer CPI sobre o tema. Não entendia a necessidade. Quando Tatto percebeu que a pressão popular (além de algumas insatisfações da “base” do governo) tornaria inevitável a criação da CPI, iniciaram-se diversas manobras regimentais e nos bastidores da CMSP (o cafezinho do plenário estava “bombando”) para que o governo e certos vereadores tivessem total controle sobre as investigações. Para resumir a história, a CPI que entrou na pauta por iniciativa do vereador Ricardo Young, virou um monstro, sendo composta por vereadores com ligações com os empresários, outros conhecidos por fazer da CMSP uma banca de negócios e o PT com a presidência.

Uma iniciativa que tinha o objetivo de abrir a “caixa preta” dos transportes será usada para “achacar” (palavra que entrou no meu dicionário graças ao secretário Jilmar Tatto, irmão do Arselino Tatto) qualquer tentativa de brigar com a máfia que o próprio PT sabe que existe.

A política paulistana não é para amadores, e agora também se mostra que não se dá ao luxo de correr riscos. Quando existe o risco, os “profissionais” entram em ação. Que fique claro que isto não é nenhum elogio à oposição, que também se calou durante o governo Serra/Kassab sobre as planilhas. Aqui a coisa vai muito além que governo versus oposição.

Resta-nos acompanhar de perto essa CPI. Muito de perto. Aos estudantes que compareceram à galeria da CMSP e à reunião dos líderes. Se querem resultados positivos, vocês terão muito trabalho pelo frente.

Os membros do colegiado, a princípio, serão: Paulo Fiorilo (PT), Eduardo Tuma (PSDB), Edir Sales (PSD), Milton Leite (DEM), Dalton Silvano (PV), Adilson Amadeu (PTB) e Nelo Rodolfo (PMDB). De acordo com o regimento da casa, presidência é concedida ao proponente da comissão, no caso, o vereador petista. O relator será o vereador Milton Leite.

@rafascarvalho

Anúncios

Líder do governo Haddad é contra CPI dos Transportes

Líder do governo Fernando Haddad (PT) na Câmara Municipal de São Paulo e irmão de Jilmar Tatto, secretário de Transportes, o vereador Arselino Tatto (PT) afirmou que vai defender na base governista voto contrário à instalação da CPI dos Transportes. Os governistas somam hoje 42 dos 55 vereadores paulistanos.

Amanhã (25) os parlamentares vão decidir se abrem uma comissão para investigar os gastos da Prefeitura com as empresas e cooperativas de ônibus da capital paulista. “Não é necessária a CPI. É possível pedir as planilhas nas comissões dos Legislativos, como na Comissão de Transportes. Não temos nenhum fato novo para motivar a abertura dessa comissão”, argumentou Tatto ao blog Política Paulistana.

A abertura da CPI é defendida pelo Movimento Passe Livre e pelo Diretório XI de Agosto, da Faculdade de Direito da USP, como forma de abrir a “caixa-preta” dos custos do governo com as empresas concessionárias do transporte público. Neste ano, por exemplo, R$ 1,425 bilhão deve ser gasto com dinheiro público para bancar o serviço de ônibus na cidade.

Segundo Tatto, com a redução da tarifa de R$ 3,20 para R$ 3,00 a CPI se tornou desnecessária. “É natural que a oposição queira surfar nisso. Mas nós vamos defender na base que o voto seja contrário. Temos de valorizar as comissões já instaladas”, disse.

O projeto foi protocolado pelo vereador Ricardo Young (PPS) com apoio de 22 outros parlamentares. Para ser aprovada, a CPI precisa de 28 votos favoráveis em plenário. O governo, entretanto, quer evitar a abertura da comissão, que se transformaria em palco para ataques contra o governo petista.

Arselino Tatto (PT), contrário à CPI dos Transportes: “não existe nenhum fato novo para isso.”

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, também afirmou nesta segunda-feira, 24, que é contra a CPI dos Transportes. Ele disse que a comissão servirá para “achacar o setor”. “Sou totalmente contra, porque CPI quando se instala geralmente é para ficar achacando o setor, não é para resolver, tirar dúvidas”, disse Tatto.

O dirigente falou que todas as planilhas do setor estão abertas para consulta e que a CPI só irá “tirar o foco” da discussão em torno da concessão do serviço de ônibus.

Segue a lista de vereadores que assinou a favor da instalação da CPI dos Transportes

Ota (PSB), Coronel Telhada (PSDB), Floriano Pesaro (PSDB), Mario Covas Neto (PSDB), Ari Friendbach (PPS), Wadih Mutran (PP), Paulo Frange (PTB), Conte Lopes (PTB), Paulo Fiorilo (PT), Vavá (PT), Andrea Matarazzo (PSDB), Gilberto Natalini (PV), Nabil Bonduki (PT), Ricardo Nunes (PMDB), Rubens Calvo (PMDB), Edir Sales (PSD), Juliana Cardoso (PT), Eduardo Tuma (PSDB), Goulart (PSD), Claudinho (PSDB), Alfredinho (PT), Laercio Benko (PHS), Atílio Francisco (PRB)

Fonte: http://blogs.estadao.com.br/diego-zanchetta/lider-do-governo-haddad-e-contra-cpi-dos-transportes/

——

Opinião:

E começa a operação abafa! Quem acompanha a Comissão de Transporte sabe que nenhuma análise profunda será feita por ela. Lembro que não foram apenas vereadores da oposição que assinaram o pedido, há diversos vereadores do PT, PSB, PP, PTB e PMDB que fazem parte da “base” do governo.

Vereador Ricardo Young mexe no vespeiro

Pedro Venceslau   (pvenceslau@brasileconomico.com.br) 

20/06/13 12:00

“A CPI será boa para o prefeito. Interessa a ele saber exatamente para onde vão os recursos e estudar as planilhas”, diz o edil.

Ele emplacou ontem uma explosiva Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as concessões de ônibus na cidade.

Um dos mais fortes quadros políticos da Rede de Sustentabilidade de Marina Silva em São Paulo, o vereador Ricardo Young emplacou ontem uma explosiva Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as concessões de ônibus na cidade.

Ela deve ser instalada oficialmente na próxima terça-feira (25/6), depois de uma reunião do colégio de líderes da Câmara Municipal.

O clima das manifestações ajudou o parlamentar, que tem mantido contato com lideranças do MPL (Movimento Passe Livre), que pode abraçar a causa.

“As empresas são pouco transparentes. As planilhas delas são indecifráveis e herméticas até para especialistas”, disse Ricardo Young à coluna. Ele espera que comissão esteja funcionando antes do recesso de julho.

O vereador ambientalista já amealhou o apoio de quase todos os partidos da vereança paulistana. Só o falta o majoritário PT, mas ele está otimista.

“A CPI será boa para o prefeito. Interessa a ele saber exatamente para onde vão os recursos e estudar as planilhas”, diz o edil.

O fato de ter bom trânsito entre a oposição e o governo foi determinante para o sucesso da empreitada. E por falar em empreitada. A avaliação interna da cúpula da Rede de Sustentabilidade é que a ex-ministra Marina Silva crescerá muito nas próximas pesquisas de opinião.

Em vias de conseguir as assinaturas necessárias para criar seu partido, ela será a grande estrela do Fórum Mundial de Sustentabilidade, que começa sexta-feira, em Foz do Iguaçu.

A sombra verde, diga-se, é o principal temor dos escudeiros e estrategistas reeleitorais da presidente Dilma Rousseff.

Fonte: http://brasileconomico.ig.com.br/noticias/vereador-ricardo-young-mexe-no-vespeiro_133251.html

Custos do Mandato

Iremos atualizar neste post os gastos do gabinete do vereador. Faremos uma planilha para cada ano e iremos atualizá-las aqui neste post. A cada ano a Mesa Diretora da CMSP pode modificar o valor que poderá ser gasto por gabinete. No ano de 2013 o valor era de R$ 18.159,38 por mês, em 2014 o valor será de R$ 18.881,25.

O valor pode ser acumulativo, ou seja, se em um mês o vereador não gastar o limite, em outros meses pode-se passá-lo, porém o gasto anual não pode ultrapassar o total de R$ 226.575,00. As despesas relativas a locação de veículo, correio e serviços de reprografia, com CNPJ da Câmara Municipal de São Paulo, referem-se a valores que são deduzidos da cota disponibilizada mensalmente aos Gabinetes de Vereadores e Lideranças, portanto não são reembolsadas.

Para facilitar, iremos utilizar uma planilha do Google Docs que pode ser acessada através do link abaixo. Utilizei como base, a planilha usada por Frederico Sosnowski que adotou o vereador Telhada.

Acesse por aqui os gastos de 2014 e por aqui os gastos de 2013!

Na Câmara de SP, vereadores agora elogiam ativistas

19 de junho de 2013 | 8h 21

DIEGO ZANCHETTA – Agência Estado

Uma semana após manifestantes do Movimento Passe Livre (MPL) serem chamados de “criminosos” e “delinquentes” no plenário da Câmara de São Paulo, o tom dos discursos mudou. Agora, vereadores dizem que a tarifa zero é possível e defendem a revogação do reajuste – a passagem saltou de 3 para 3,20 reais.

Na sessão iniciada às 15 horas desta terça-feira, parlamentares de diferentes partidos tentam contar em cinco minutos (tempo regimental para uso da palavra) como foi a participação na passeata. Os elogios ao movimento foram uníssonos. A vereadora Juliana Cardoso (PT), por exemplo, que não participou dos primeiros atos, apesar de ter apoiado os protestos do MPL realizados em 2011, disse que o movimento “está de parabéns” por ter levantado o debate sobre a redução da tarifa. “Eu participei ontem (17) e quero parabenizar os manifestantes”, discursou.

O vereador Laércio Benko (PHS) também falou sobre a participação na passeata e defendeu a tarifa zero. “Eu encontrei lá o vereador Alfredinho (PT), o vereador Nabil Bonduki (PT)”, afirmou. “O transporte gratuito está previsto na Constituição, assim como a saúde e a educação. Precisamos discutir como isso pode ser subsidiado, se com o pedágio urbano, por exemplo. Podemos sim falar, a médio prazo, em transporte gratuito em São Paulo”, acrescentou o líder do PHS.

Proposta interessante

Até o vereador Goulart (PSD), que pouca vezes faz discursos no plenário, defendeu a tarifa zero e as manifestações do Passe Livre. “A proposta da tarifa zero é interessante. Quem sabe num futuro próximo a gente consiga conquistá-la”, afirmou Goulart, um dos principais líderes da Casa.

Líder do PSDB, Floriano Pesaro disse que o prefeito Fernando Haddad (PT) poderia reverter o reajuste na passagem se não estivesse reembolsando donos de veículos pela taxa da inspeção veicular. “São R$ 180 milhões que serão devolvidos para quem tem carro, para quem usa só o transporte individual. Por que essa verba não foi usada para segurar o reajuste de 20 centavos que gerou toda essa indignação na sociedade?”, questionou.

O líder do PT, Alfredinho, que chamou na semana passada manifestantes de “arruaceiros”, agora diz que o movimento cresceu por causa da repressão da polícia. Ele afirmou ter ido de metrô ao protesto desta segunda-feira, 17. “A juventude foi para rua e quer mudança”, discursou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

—-

Opinião: Os vereadores não são bobos e estão tentando se aproveitar agora que é cool apoiar as manifestações. Justiça seja feita, Ricardo Young, Toninho Vespoli  (principalmente) e Natalini (são os que eu consigo lembrar agora), sempre se posicionaram à favor das manifestações.

@rafascarvalho

Young quer CPI para investigar concessões de ônibus em SP

RenattodSousa/CMSP
PLENARIO-1862013-Rtto__0517 

O vereador Ricardo Young (PPS) protocolou um pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as concessões de ônibus na cidade de São Paulo. “Essa caixa preta precisa ser aberta”, declarou o parlamentar durante a sessão desta terça (18/6), referindo-se às planilhas de custo das empresas, que não são divulgadas pela Prefeitura.

O parlamentar quer que a Câmara analise como as concessionárias empregam os recursos que recebem, pois pairam fortes suspeitas sobre as contas dessas empresas. Para ele, o sistema de transporte da cidade está em “colapso”, oferecendo um serviço ruim por um preço alto.

“Nós só vamos conseguir lidar com esse colapso se tivermos a coragem de mergulhar fundo naquilo que orientou o atual sistema e nos vícios que esse sistema tem”, acredita Young.

Por fim, o vereador defendeu que o prefeito Fernando Haddad volte atrás no aumento da tarifa de R$ 3,00 para R$ 3,20, estopim do protesto que reuniu milhares de pessoas na cidade ontem: “Porque não há nenhuma segurança de que esse aumento não estará sendo absorvido na ineficiência e na corrupção do próprio sistema”.

(18/6/2013 17:50)

—-

Opinião: CPI é um instrumento que ora funciona, ora se perde em interesses nada claros. Desconfio que a CMSP possa fazer uma boa CPI por si só. Só irá funcionar se todos os tem participado das manifestações acompanharem de perto esses trabalhos. Nós estaremos acompanhando tudo, bem de perto.
@rafascarvalho

Editorial:#SP17J #oGiganteAcordou

Sim, eu fui à Manifestação.
Como saber e sentir o que estava acontecendo sem estar presente? Eu precisava ver com os meus próprios olhos, sentir o que estava acontecendo. E o que eu vi foi de arrepiar.
Cheguei ao Largo da Batata perto das 18h20 e encontrei uma multidão de todas as cores, idades e pretensões. Não, não era só pelos R$ 0,20 que aquelas pessoas estavam ali. Eram famílias, pedindo por saúde, gritando não à PEC 37, à corrupção. O que se via nas mãos das pessoas eram celulares (a concentração era tanta que o 3G não deu conta) a mil por hora, tirando fotos, mandando mensagens, chamando mais gente para a festa e cartazes com frases no mínimo criativas (veja galeria).
Era tanta gente que em certo momento não se via o começo e nem o fim. Difícil não segurar as lágrimas com a imagem das pessoas sendo refletida pelas janelas dos imponentes prédios da Faria Lima.
Resolvi andar um pouco mais e alcancei um grupo mais organizado. Eram associações estudantis que já tinha gritos bem ensaiados e bandeiras dos movimentos que representavam. O clima de organização e civilidade se mantinha. O som de uma bateria estudantil animava e conduzia a “ola”. (continua depois das fotos)
Andei mais um pouco (na verdade, muito) e avistei o começo de um dos grupos que passavam em frente à Rede Globo (cantando frases “elogiosas” à família Marinho). Subimos a Ponte do Morumbi, esperamos e admiramos mais uma multidão vir ao nosso encontro (eles acessaram a marginal Pinheiros, via Ponte Estaiada). Quando as duas multidões se uniram, foi uma festa! Abraços e gritos nos animaram no caminho ao Palácio do Governo.
Estávamos cansados. Mas sabíamos aonde chegar.
Avistamos o Palácio do Governo, gritamos palavras de ordem, fizemos piadas com o governo Alckmin e pegamos o caminho de volta. Não vi vandalismo e as poucas tentativas foram reprimidas pelo próprio movimento.
Não sei em que momento eu sai de um texto em primeira pessoa do singular para uma na primeira pessoa do plural, só sei que gostei do que vivi em #SP17J.
Como integrante da rede “Adote Um Vereador”, gostaria de lembrar a todos que participaram da manifestação que não são cartazes ou gritos que mudam as coisas. Hoje participar da manifestação é algo cool. Menos cool é ter uma participação ativa na cobrança de quem deveria fiscalizar atos do poder executivo, votar em políticos descentes e acompanhar o seu mandato. Você sabia que a Planilha de Custo da tarifa foi enviada no dia 22/05/2013 à Câmara Municipal de São Paulo e pouquíssimos vereadores citaram isso em algum momento? Você sabia que o mesmo PT que agora esta no poder, criticou a mesma Planilha e agora se silencia? Sabia que a truculência com a qual a polícia do PSDB agiu dia 13/06, não existiu com a tal Planilha de Custo quando o PSDB era governo (Serra/Kassab)? Que existe um projeto parado no senado que tornaria possível uma redução das tarifas? Que NESTE momento a prefeitura esta com uma proposta de nova licitação para o sistema de ônibus de São Paulo?
Lute, Exija, Acompanhe. As manifestações abrem um novo horizonte para todos, mas depende de mudanças individuais para que esse horizonte seja claro.
E importante: #VemPraRua!
@rafascarvalho
PS. No Largo da Batata um cartaz me chamou a atenção. Um senhor de meia idade o segura com os dizeres: “Desculpe o transtorno, estamos mudando o Brasil”. Tirei uma foto para guardar. Não é que depois de tudo, quando voltávamos para a Estação Butantã, vimos no quintal de uma casa alguém oferecendo água para uns 4 manifestantes. Paramos para pedir um pouco de água também, e não é que era o mesmo cara que segurava o cartaz no Largo da Batata!?!? Não dava pra acreditar! O nome dele é João Helou, uma figura! Fica aqui os meus agradecimentos pela água! (https://www.facebook.com/joaohelou)