CPI dos Transportes: fim melancólico?

Ricardo Young critica relatório da CPI dos Transportes. E você? O que você achou?

Leia o Relatório Oficial aqui e o Relatório Alternativo aqui.

Eu pessoalmente irei ler os dois e depois posto minhas impressões. Mas só pelo pouco que acompanhei das reuniões da CPI, é muito provável que acabarei concordando com a conclusão do vídeo abaixo.

Anúncios

Votação João Antonio – TCM

No direto do Plenário o vereador Ricardo Young justifica a abstenção na indicação de João Antonio como conselheiro do Tribunal de Contas do Município.

Opinião:

Achei sensata a votação de abstenção para a indicação do deputado estadual João Antonio. Minha opinião pessoal é diante dos outros indicados, o nome do João Antonio foi até razoável, mas precisa-se discutir o papel do próprio TCM, que custa muito e parece produzir nada.

Sobre a provocação saudável do vereador sobre o acompanhamento do Direto do Plenário, abrimos espaço para questionar qual o motivo de não se ter produzido os vídeos na semana passada. Será que não aconteceu nada de importante?

@rafascarvalho

Editado: 12/02/2014 às 18h05

Rapidamente recebemos a justificativa do porque o vereador esteja ausente no plenário, e por isso não gravou o Direto do Plenário:

“O vereador se submeteu a um procedimento médico na quarta-feira e precisou tirar dois dias de licença por ordem do médico.
Por isso não gravamos na quarta e na quinta, já que ele não estava no Plenário.
Enviamos um ofício e sua ausência foi comunicada no Plenário.
Ludmila Almeida  – Assessoria”

Young lança seu nome como pré-candidato ao governo de São Paulo

São Paulo – Aliado político da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, o vereador paulistano Ricardo Young (PPS) lançou nesta quinta-feira à noite, durante um jantar com integrantes da Rede, seu nome ao governo de São Paulo. “A Rede não nasceu para ser subserviente aos projetos políticos tradicionais. Nós não nascemos para passar em branco nessas eleições. Então eu queria dizer para vocês que vou me colocar à disposição da candidatura para governo do Estado”, discursou sob aplausos dos marineiros.

Young iria para a Rede, mas, como Marina não conseguiu assinaturas suficientes para registrar o partido no ano passado, resolveu permanecer no PPS. Boa parte daqueles que tentaram fundar o partido acabou abrigada no PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pré-candidato à Presidência.

Marina fechou um acordo com Campos segundo o qual o PSB teria candidato próprio em São Paulo e desistiria do projeto de apoiar a reeleição de Geraldo Alckmin (PSDB). O problema é que a máquina do partido quer indicar o deputado Márcio França para o posto de candidato. França é muito próximo dos tucanos e os integrantes da Rede temem que uma candidatura dele seja apenas de “fachada”.

“Eu acho que a política também se faz com coragem e insubordinação. Nós estamos muito comportados. Nós não criamos a Rede para sermos comportados, nós criamos para fazer avançar a política, para puxar o PSB e o PPS para o nosso campo. Se a Rede considerar que o meu nome pode contribuir para o tensionamento dessa situação, contem comigo”, afirmou Young.

A ideia inicial de Marina era lançar a deputada Luiza Erundina (PSB) ao governo. Ela, no entanto, recusou a oferta e complicou a negociação. Assim como o nome de França não é bem visto pelo grupo da ex-ministra, o PSB também não mostra disposição em aceitar um quadro ligado à Rede, como o deputado Walter Feldman.

Desponta como uma opção mais neutra o nome do advogado Pedro Dallari, filiado ao PSB. Para concorrer, no entanto, ele teria que deixar o posto de coordenador da Comissão Nacional da Verdade.

A chance de Young sair candidato é baixíssima, pelo menos no momento. O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire, afirmou que o projeto do partido é permanecer aliado aos tucanos paulistas e apoiar a reeleição de Alckmin.

Opinião:

Diante das pré-candidaturas apresentadas, acredito que a candidatura do Ricardo Young seria boa. Porém acredito que no momento ele pode fazer mais diferença na CMSP.

Como o próprio presidente do PPS já disse que não tem interesse em lançar candidato próprio, esse movimento do Ricardo Young me parece mais para marcar espaço e trazer o PSB para uma discussão mais aberta sobre os rumos da aliança PSB-Rede.

@rafascarvalho