Aconteceu na última reunião da atual Mesa Diretora

Por Alecir Macedo – Integrante da Rede Adote um Vereador

Paulo Bacararin -Procurador Chefe da Câmara- “…o Ministro Joaquim Barbosa está acima de Deus”

Como sempre começou com um atraso de aproximadamente 27 minutos, como de costume, com a chegada do Senhor Presidente José Américo. Com a presença de alguns dos novos integrantes (eleitos no último dia 15, para o ano legislativo de 2014), vereadora Marta Costa (Vice-Presidente), George Hato e Conte Lopes. Apesar da mesa cheia, a reunião começou sem quórum, estavam presentes além do presidente, os vereadores Claudinho de Souza e Gilson Barreto (ambos do PSDB).

Enquanto aguardavam a chegada do vereador Marco Aurélio Cunha (PSD) para completar quórum, aproveitaram para fazer o lançamento da revista Parlamento e Sociedade -aqui um adendo, a Editora Globo e as demais que se cuidem, a Câmara Municipal está se revelando como uma grande concorrente-.

Encerrado o lançamento da revista, foram apresentados os “integrantes do comando da Casa” aos novos componentes da Mesa Diretora: João Bezerra de Menezes -Contador de carreira -na Casa há 30 anos-, Gilberto Rodrigues Hashimoto -Diretor do Depto. de Economia e Orçamento -na Casa há 24,5 anos-, Fernando Ventura Ribeiro -Coordenador do Centro de Tecnologia e Informação -na Casa há 29 anos-, Delfim Roberto Machado -Secretário de Infraestrutura – na Casa há 22 anos-, Raimundo Batista -Secretário Parlamentar Adjunto -na Casa há 25 anos-, Celso Gabriel -Secretário de Recursos Humanos -na Casa há 30 anos-, Meire Regina Hernandes -Comissão de Licitações -na Casa há 01 anos-, Roberto Assad -Secretário de Assistência e Saúde- na Casa há 33 anos-, José Carlos de Teixeira Camargo -Coordenador do Centro de Comunicação Institucional- na Casa há 39 anos-, Paulo Bacararin -Procurador Chefe da Câmara – na Casa há 17 anos-, Rodrigo Ravena -Secretário Geral Administrativo -na Casa há 34 anos- e “Camilinho” encarregado de apresentar os demais e esqueceu-se de sua apresentação.

“Gentem, vamos começar a tocar a pauta, se tiver alguma coisa mais delicada a gente adia” continuou o Presidente José Américo, chamando a pauta do dia, sem quórum para deliberação, o vereador Marco Aurélio ainda não havia chegado. Dentre os assuntos discutidos estava a renovação ou não do contrato com a empresa que fornece os tablets para os vereadores, a solução foi cancelar o contrato e fornecer chips aos vereadores interessados ou a liberação do acesso a internet, conforme sua preferência e o uso de seus próprios equipamentos (Tablets ou Smartphones), uma vez que poucos vereadores utilizam os equipamentos.

Exatamente às 11,44 horas, o vereador Marco Aurélio Cunha completou o quórum e a reunião teve seu prosseguimento normal, sem ao menos ser anunciada sua presença como é -ou era- o costume.

Durante as apreciações de diversos processos de licitações e/ou pregões, o presidente mais uma vez resolveu destilar seu veneno contra o Voto Consciente e a rádio CBN. Citando toda a polêmica causada durante o primeiro semestre com o fechamento das reuniões ao público, aproveitou para criticar a ausência do movimento as reuniões, segundo ele, que teriam acompanhando duas ou três reuniões e que a rádio CBN não tem capacidade técnica para entender de processos licitatórios. Quanto a CBN eu não sei, mas quanto ao Voto Consciente não comparece as reuniões devido ao desrespeito e descumprimento aos horários estabelecidos pelo presidente -leia matéria assinada pelo seu Diretor Danilo Barboza, em 03/09/12, clicando aqui.

Em discussão a demissão do dentista-chefe da Casa, por reclamação de mal atendimento ao presidente em uma emergência, o Senhor “Camilinho” soltou a seguinte frase, sem nenhuma cerimônia: “A área médica deu uma decaída nestes últimos dois anos… nós fizemos um Albert Einstein aqui quando reformamos e deu uma caída para Hospital do Tatuapé“.

Provocado pelo vereador Conte Lopes, o presidente solicitou ao Procurador Geral, Dr. Paulo Bacarin, que fizesse uma explanação do porque os vereadores não recebem 13º salário em São Paulo. Devido a extensão do assunto destaco apenas um comentário do Senhor Procurador: “Este processo estava com um Ministro Ilustre do STF, chamado Joaquim Barbosa, como ele é acima de todo mundo e está acima do bem e do mal, ele não recebe advogados… o Ministro Joaquim Barbosa está acima de Deus…” e continuou”…felizmente para nós agora os processos dele passaram para o Ministro Barroso, que eu acho que é um cara mais sensato e acessível, bem mais técnico, com capacidade técnica infinitamente superior”.

O vídeo referente a reunião está a disposição no Portal da CMSP, clique aqui e na busca coloque 17/12/2013 e Mesa Diretora – Reuniões Orinárias.

Assista o vídeo e forme sua opinião a respeito, como cidadão e voluntário na Rede Adote um Vereador, me recuso a comentar ou responder aquilo que é dito sem noção por alguém que ganha muito bem, cercado por assessores, para nos representar na Câmara Municipal.

Leia mais: http://www.adoteumvereadorsp.com.br/news/aconteceu-na-ultima-reuni%C3%A3o-da-atual-mesa-diretora/

Anúncios

PlanVale volta atrás e não encerra amigavelmente o contrato com a CMSP

A PlanVale, empresa que fornece os cartões de vale-refeição aos funcionários da CMSP, havia se comprometido a encerrar o contrato devido aos problemas operacionais e políticos que o contrato apresentou. Para quem não se lembra, o vereador Ricardo Young questionou aspectos do contrato e a qualidade do serviço prestado pela empresa em uma das sessões do plenário. A empresa, em nome do seu sócio, enviou uma carta ao vereador Ricardo Young ameaçando fazer uma representação contra o vereador por causa das afirmações e dos questionamentos feitos.

O assunto foi levado pelo vereador ao presidente José Américo, que em uma reunião da Mesa Diretora cobrou que a empresa sofresse alguma retaliação por ameaçar um vereador, além de prestar serviços ruim.

Na Reunião da Mesa Diretora de 05/11 o assunto voltou à pauta. A empresa não aceitou romper amigavelmente o contrato. Mais da metade das solicitações de novos credenciamentos de pontos comerciais feitas à PlanVale não foi atendida. Os estabelecimentos comerciais não estão aceitando o credenciamento, pois segundo foi relato na reunião da Mesa Diretora, na visão dos comerciantes a taxa cobrada é alta, há demora no repasse, as máquinas sempre apresentam problemas (ou seja, quando aceita, não passa).

Será feito um estudo pelo Mesa Diretora para tentar resolver o impasse ou pelo menos melhorar a prestação de serviço da empresa.

@rafascarvalho

Programa Papel Zero

Na minha opinião faltam duas coisas para o programa Papel Zero ser efetivo. Treinamento e interesse, e não necessariamente nessa ordem. Hoje, na reunião do Colégio de Líderes, toda a pauta estava impressa em papel, nada de documentos digitais. O gabinete do vereador Ricardo Young se posicionou como já adaptada ao programa e nos disse que utiliza documentos digitais sempre que possível, é bom lembrar que a própria CMSP ainda solicita muita coisa em papel!

@rafascarvalho

— Via Ricardo Young

Bom dia!
Entre a economia e a eficiência

Desde o ano passado, a Câmara Municipal vem colocando em prática o plano de reduzir o uso de papel nos processos administrativos da Casa através do programa Papel Zero. Uma das iniciativas desse projeto é o Plenário Digital, sistema que visa digitalizar as sessões parlamentares e que está sendo utilizado desde agosto do ano passado.

A decisão é mais do que bem vinda, não só pelo aspecto óbvio da economia de papel e da agilidade no tráfego de informações, mas também pelo fato de manter a Câmara tecnologicamente equipada para uma gestão
transparente. Os maiores ganhos são a clareza, o acesso e a rapidez.

Entretanto, é necessário pensar que a falta de preparo dos vereadores e suas equipes pode atrapalhar ou até mesmo obscurecer esses processos.

Se os parlamentares têm acesso ao plenário digital, mas não recebem nenhum treinamento para utilizar todos os recursos oferecidos, ou mesmo não possuem nenhuma familiaridade com eles, o resultado obtido pode até ser inverso ao que se desejava.

Os tablets e o acesso online à Câmara Digital vão facilitar muito o trabalho dos vereadores, mas eles necessitam ter conhecimento à altura da tecnologia para realizar suas funções com mais eficiência.

Reunião da Mesa Diretora da Câmara Municipal volta a ser fechada à sociedade

Justificativa da presidência e da vice-presidência é que órgão tratará apenas de questões técnicas internas da Casa. Reuniões de líderes continuarão sendo abertas

Airton Goes airton@isps.org.br

Nos últimos dois anos, as reuniões da Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Paulo foram realizadas sem nenhuma restrição à participação da sociedade, incluindo jornalistas e representantes de organizações que acompanham o trabalho do Legislativo paulistano. Essa prática, entretanto, foi alterada nesta quarta-feira (6/2) pelo novo presidente da Casa, vereador José Américo (PT).

Minutos antes do início do primeiro encontro do órgão na nova Legislatura, as pessoas que aguardavam a reunião foram comunicadas pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) que somente poderiam permanecer no local – Sala Tiradentes – aquelas oficialmente convidadas.

Ao chegar ao local, o presidente da Câmara Municipal, José Américo, confirmou que havia determinado que as discussões do órgão que dirige a Câmara Municipal fossem fechadas. “Preciso conversar com a Mesa e é uma conversa privativa”, afirmou.

Ele também determinou que a reunião não fosse transmitida pelo site da Casa, uma prática que havia se tornado comum no último biênio.

Explicações da presidência e da vice-presidência

Após a reunião, Américo explicou que as reuniões da Mesa Diretora serão fechadas porque deverão tratar apenas de questões técnicas. “Ao final de cada reunião, me colocarei à disposição para informar as deliberações e responder os questionamentos dos interessados”, argumentou.

O presidente da Câmara garantiu que as reuniões de líderes, onde são decididos os projetos que entrarão na pauta de discussões e votações, continuarão sendo realizadas de forma aberta à sociedade.

Para o vereador Marco Aurélio Cunha (PSD), 1º vice-presidente, as discussões sobre funcionários não devem mesmo ser abertas. “Chamar atenção publicamente de um funcionário é meio constrangedor”, justificou, antes de complementar: “São reuniões de trabalho, com pautas técnicas”.

A nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Paulo é composta pelos seguintes vereadores:
José Américo (PT) – presidente
Marco Aurélio Cunha (PSD) – 1º vice-presidente
Aurélio Miguel (PR) – 2º vice-presidente
Claudinho de Souza (PSDB) – 1º secretário
Adilson Amadeu (PTB) – 2º secretário
Gilson Barreto (PSDB) – 1º suplente
Dalton Silvano (PV) – 2º suplente

Fonte: http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/24196

—–

Comentários: Simplesmente inaceitável a posição da Mesa Diretora. O que é tão constrangedor que será tratado para que o cidadão não possa saber? São pautas técnicas, ótimo, o cidadão que se interessar deve ter acesso. Vou cobrar uma posição de cada integrante da mesa diretora sobre esta questão e volto para publicar.